RISOTO BÁSICO ou BODAS DE RISOTO

Uma história feliz de dez anos. Esta é a definição de meu relacionamento com a "Tia Sô", a quem conheci em 29 de setembro de 2001, na cidade de Marília (SP), onde nos vimos pela primeira vez após três meses de "correspondência" pela internet. Por incrível que pareça, começamos nosso relacionamento por e-mail e depois passamos a usar, de maneira quase compulsiva, o finado ICQ -- um programa de mensagens instantaneas, precursor do hoje onipresente Messenger.


O presente virou o novo mascote do blog
Para comemorar a data, preparei uma surpresa e me lancei na cozinha, com uma receita toda especial debaixo do braço e um presente escondido no carro (veja ao lado).

Todos sabem que não sou nenhum chef, mas esta receita básica tem a assinatura de Jamie Oliver, o britânico que ficou conhecido por cozinhar sem frescuras. E, neste caso, trata-se de um prato relativamente simples, mas com sabor especial e cujo segredo é ficar ao lado dele, dando sua atenção absoluta por cerca de 20 minutos. O esforço vale a pena. A receita acontece em etapas. Então, anote o que vai precisar :

Ingredientes
  • l litro de caldo (de galinha, peixe ou legumes)
  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva de boa qualidade
  • 2 cebolas médias picadas bem fino
  • sal e pimenta-do-reino 
  • 2 dentes de alho fatiados ou uma colher de alho ao óleo
  • 400 g de arroz para risoto
  • 100 ml de vermute branco seco (Martini Dry) ou vinho branco seco
  • 70 g de manteiga sem sal
  • 85 a 100 g de queijo parmesão fresco ralado

Modo de Fazer

1.  Esquente o caldo, que pode preparado com o tradicional tablete. Usei o caldo líquido de galinha da Maggi (são quatro colheres de sopa para um litro de água). Em uma panela separada, aqueça o azeite de oliva. Adicione a cebola e uma pitada de sal. Refogue por cerca de 3 minutos. Acrescente o alho e, após mais um minuto, junte o arroz. Aumente o fogo e, a partir daí, não se afaste mais da panela. Mexa lenta e continuamente, até que o arros comece a fritar. Se a temperatura parecer muito alta, diminua um pouco. Você deve manter o arroz em movimento. Depois de 2 ou 3 minutos, ele começará a ficar transparente e, neste momento, adicione o Martini Dry (um vermute branco seco vendido em supermercados) ou o vinho, sem parar de mexer. A bebida irá chiar ao redor do arroz, evaporando rapidamente e deixando o arroz com uma essência deliciosa. Não acreditava, mas a bebida proporciona um sabor intenso, mas sutil, mas se quiser algo mais delicado prefira o vinho branco seco.

2.   Assim que o vermute ou o vinho for absorvido pelo arroz, acrescente a primeira concha (sopa) de caldo quente e uma pitada de sal (coloque pequenas pitadas de sal a gosto enquanto você estiver acrescentando o caldo). Abaixe o fogo para uma fervura leve (a razão pela qual não queremos ferver tudo é que, se fizermos isso, o exterior do arroz ficará cozido e macio e o interior permanecerá cru). Continue adicionando conchas de caldo, misturando e esperando que cada concha seja absorvida antes de entornar a próxima. Isso levará uns 15 minutos. Experimente o arroz - está cozido? Continue a acrescentar o caldo até que o arroz esteja tenro, mas com uma leve consistência. Ajuste o tempero.

3. Retire a panela do fogo e adicione a manteiga e o parmesão, reservando um pouco do queijo para salpicar por cima do risoto se você quiser. Misture delicadamente. Coma o mais rápido possível, enquanto ele ainda conserva a textura umedecida. Sirva sozinho ou com uma salada verde refrescante. Em separado, deixe um prato com salsinha, cebolinha e manjerona picados. Isto acrescenta aroma e sabor ao prato. Espero que goste. Veja o passo-a-passo abaixo e, se quiser, complete com um salsão ou brócolis, adicionados junto com a cebola. Fica uma delícia.

Ass.: Marido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado, crítica ou dúvida, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

Tia Sô

authorOlá, meu nome é Solange Grignolli. Nasci no Paraná (com muito orgulho) e, não posso negar, sou do século passado. Adoro o Sul do país e as coisas simples da vida. Sou sincera, honesta e leal. Adoro meu marido, meu filho, meus amigos e minhas cachorrinhas. Sou o que sou, sem frescuras, e gosto muito de pessoas assim também.
Seguir



Minhas Coisinhas