Postagens Recentes


Esfirra, esfiha, sfiha, isfirra…? Segundo os gramáticos,  a palavra foi aportuguesada: está escrita como “esfirra” em todos os grandes dicionários brasileiros – Aurélio, Houaiss, Michaelis, Aulete etc. Mas, além da discordância ortográfica, há inúmeras receitas desses deliciosos discos ou trouxinhas de massa, de origem síria-libanesa, e que se tornaram populares no Brasil nos anos 80. A forma tradicional sempre é feita com massa de pão árabe, assada no forno, com recheios que podem ser de carne bovina, carne de carneiro, queijo, coalhada ou verduras temperadas.

Logo, como não há unanimidade, decidi fazer a minha versão de esfiha. Ela combina o melhor do tempero árabe no recheio de carne moída e uma massa leve e saborosa, que permite ser requentada sem perder a crocância. Os temperos são inspirados no famoso restaurante paulistano Arábia, um dos melhores do país. Já a massa tem por base as dicas do chef Álvaro Rodrigues. A receita rende de 30 a 40 esfihas e o tempo de preparo é de 1 hora. Espero que gostem !

INGREDIENTES

Recheio
  • 500 g de carne moída (capa de filé)
  • 2 tomates picados em pequenos cubos
  • Meia cebola média picada em cubos
  • ½ xícara (chá) de salsa picada
  • 1 colher (chá) de pimenta síria
  • ½ xícara (chá) de molho tahine pronto
  • 1 colher (café) de pimenta-do-reino
  • ½ xícara (chá) de suco de limão
  • Sal a gosto

Massa
  • 40g de fermento biológico 
  • 1 colher (sopa) de açúcar 
  • 1 colher (sopa) de manteiga 
  • 1 xícara (chá) de água morna 
  • 1/3 xícara (chá) de óleo de milho 
  • 1 ovo 
  • 1 colher (sobremesa) de sal 
  • 500g de farinha de trigo 

PREPARO

Para o recheio
1. Em um recipiente grande, coloque todos os ingredientes e misture-os, com ajuda de uma colher. Os pedacinhos de tomate podem entrar por último, pois são mais delicados.

2. Utilize as mãos para liberar melhor os aromas dos ingredientes, pressionando-os delicadamente. Quando a mistura do recheio estiver homogênea, cubra com um filme plástico e leve à geladeira por 30 minutos.

3. Antes de utilizar na montagem, com a ajuda de uma peneira, elimine o excesso de líquido da carne. Se preferir, coloque todo o preparo num pano limpo e esprema levemente. 

Para a massa

1. Dissolva o fermento com o açúcar até que esteja líquido. Junte os demais ingredientes e vá acrescentando a farinha de trigo, aos poucos, até obter uma massa que solte da tigela, porém ainda bem "grudenta".

2. Em seguida, coloque a massa sobre a bancada e rasgue-a em movimentos de vai e vem com as mãos até que a mesma esteja lisa e macia. Por último agregue um pouco mais de farinha de trigo e sove delicadamente até obter uma massa lisa, macia e homogênea. 

3. Divida a massa obtida em porções iguais, boleie cada porção e modele as esfihas como explicado abaixo. 


Montagem

1. Divida a massa em porções médias e boleie cada porção de massa com as mãos. 

2. Abra as bolinhas sobre a bancada enfarinhada e com o auxílio de um rolo pequeno, aplique uma boa colherada do recheio e feche no formato de triângulo. 

3. Por último, coloque as esfihas sobre assadeiras (sem untar) e deixe crescer até dobrar de volume, quando então, leve ao forno pré-aquecido a 200º C e asse até que estejam bem douradas. Fique de olho, mas, em média, elas estarão prontas entre 20 e 25 minutos.



DICAS
  • Ao retirá-las do forno, sirva imediatamente acompanhadas de limões cortados em gomos e de coalhada seca ou fresca. 
  • O recheio pode variar, dependendo de sua preferência: carne, ricota, espinafre etc.
  • Se quiser esfihas abertas, deixe cerca de 2 centímetros de borda livre de recheio. 
  • Como esquentar esfiha em casa : micro-ondas nem pensar! A melhor opção são as fritadeiras sem óleo. Você pré-aquece o equipamento por 10 minutos, a 180 graus, e depois coloca as esfihas de maneira que elas não se sobreponham uma às outras. Conte dez minutos e elas estarão quentes e crocantes. Mas, se não tiver uma "air fryer", leve ao forno convencional, preaquecido em temperatura média (150 graus), em dez minutos elas ficarão prontas. 
0


Os biscoitos brutti e buoni (feio e bom), também conhecidos como "brutti ma buoni" (feios, mas bons), são deliciosos doces com aparência desigual e rugosa, Originários de Gavirate, na província de Varese, na Itália, foram inventados pelo confeiteiro Contantino Veniani em 1878. Adorados por figuras históricas como Giuseppe Verdi e o poeta Giosué Carducci, estes biscoitos se tornaram os mais típicos da região e também de toda a região da Lombardia, onde são servidos como lanche com aromáticas xícaras de chá ou chocolate quente, ou saboreados com café expresso bem quente. Também são servidos como sobremesa ao final de uma refeição. Ou seja, toda hora é hora para apreciar  a beleza "interior" destes biscoitos.

A receita clássica leva avelã e pode ser adaptada à nossa castanha do Pará, mas nada seria mais brasileiro do que um biscoito de paçoca. Um misto de suspiro e  amendoim, este doce vai te surpreender.

INGREDIENTES

  • 4 Claras 
  • 1 xícara (200 g) de açúcar
  • 1 1/2 xícara (250 g) de amendoim torrado granulado ou amendoim torrado sem pele
  • sal à gosto
PREPARO

1. Bata as claras na batedeira, em velocidade média (se tiver uma planetária, use o batedor globo de arame) até que comecem a espumar. Adicione aos poucos o açúcar e siga batendo em velocidade alta até que ele esteja dissolvido e as claras tenham se transformado em um merengue firme e brilhante

2. Coloque amendoim e o sal na tigela de um processador e pulse até que fique uma farofa bem grossa. É bom que fiquem pedaços grandes para garantir a textura.

3. Despeje todos os ingredientes em uma panela grande, de fundo grosso, misture delicadamente e leve ao fogo médio, mexendo sem parar até que a mistura pegue consistência e comece a desgrudar do fundo da panela.  Não se preocupe se uma fina camada aderir ao fundo e nem tente raspá-la.

4. Transfira a mistura quente para uma tigela e cubra com filme de PVC de forma que o plástico toque a massa. Deixe amornar.

5. Com a ajuda de colheres pequenas, porcione os montinhos de massa em uma assadeira forrada com papel-manteiga ou um tapete de silicone, deixando espaço de aproximadamente 2 cm entre eles. 

6. Leve ao forno pré-aquecido a 170° C, por cerca de 40 minutos, girando a assadeira 180° na metade do tempo, para garantir que todos os biscoitos assem por igual.

7. Deixe os biscoitos esfriarem completamente antes de tirá-los da assadeira usando uma espátula.

DICAS
  • Se quiser que os biscoitos fiquem com sabor "paçoca rolha" (aquela salgadinha), coloque cerca de 1 1/2 colher de sal. Mas a quantidade é opcional, dependendo de seu paladar.
  • Durante o preparo, no fogo, você vai pensar : "fiz alguma besteira !!". Mas não se preocupe, a consistência correta só é alcançada quando o preparo desgruda do fundo da panela e também não se importe com a fina camada que vai se formar.
  • Cuidado : se tentar tirá-los da assadeira ainda quentes, eles quebrarão com facilidade.

0


Sou daquelas pessoas que gostam de cookie. Mas, confesso, desisti de comprar produtos industrializados, embora encontremos boas marcas no Brasil. E a razão é muito simples : você nunca conseguirá comprar um cookie tão bom quanto o que você fizer em sua própria casa, com os melhores ingredientes que tiver à mão. 

E a receita que trago hoje é a melhor de dois mundos, pois une a crocância de um cookie bem feito com dois tipos de chocolate. E todo o crédito deve ser dado à confeiteira Lu Bonometti, que tem um belo ateliê de delícias no Jd. Paulista, em São Paulo, e que ensina o passo a passo em seu primeiro livro, "Biscoito ou Bolacha ?" (Editora Alaúde). Experimente, vale a pena !

Ingredientes

  • 100 gramas de manteira
  • 100 gramas de chocolate meio amargo
  • 1 1/2 xícara (300 g) de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 xícara (120 g) de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de cacau em pó
  • 1/2 colher (chá) de fermento químico em pó
  • 1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 70 gramas de gotas de chocolate meio amargo ou chocolate meio amargo picado em pedaços pequenos
  • 70 gramas de gotas de chocolate branco ou chocolate branco picado em pedaços pequenos

Preparo

1. Coloque a manteiga e os 100 g de chocolate em uma tigela e leve ao micro-ondas, programando intervalos de 30 em 30 segundos e mexendo até que derreter e obter uma mistura lisinha.

2. Preaqueça o forno a 170 graus.

3. Despeje o chocolate derretido na batedeira (se tiver uma planetária, use o batedor raquete), adicione o açúcar e bate em velocidade média até obter uma mistura homogênea. Acrescente os ovos, um por vez, e diga batendo em velocidade baixa até a massa incorporar um pouco de ar e ficar com aparência fofa.

4. Enquanto isso, em outra tigela, misture o cacau em pó peneirado, o fermento, o bicarbonato e o sal. Adicione aos poucos a mistura de farinha à massa, batendo em velocidade baixa até ficar homogênea. 

5. Incorpore as gotas de chocolate com uma espátula e misture à mão até que estejam distribuídas na massa.

6. Forre uma assadeira com papel-manteiga ou um tapete de silicone. Com a ajuda de uma colher dosadora ou duas colheres pequenas, coloque montinhos de massa sobre a assadeira, deixando bastante espaço entre elas, pois vão achatar e crescer durante a cocção.

7. Asse por 12 minutos, ou até começarem a rachar na superfície. Lembre-se de girar a assadeira 190° na metade do tempo para garantir que os biscoitos assem de forma uniforme.

8. Tire do forno e deixe esfriar . retire da assadeira com a ajuda de uma espátula. Guarde em um pote com boa vedação.


Dicas:

  • Lembre-se, o resultado dependerá dos ingredientes que usar. Então, procure usar  manteiga e não margarina, além do melhor chocolate que puder encontrar .
  • Nem todas as receitas de cookies exige sal mas há uma boa razão para que ele esteja sempre lá . Sal amplifica o sabor do chocolate e abaixa a doçura, tornando o cookie mais equilibrado. 
  • Evite assadeiras finas, que podem deformar, perder a sua forma e deformar seu cookie. Além disso as assadeiras muito finas absorvem uma grande quantidade de calor e podem queimar o fundo. Assadeiras pesadas, forradas com tapetes de silicone ou papel vegetal são as melhores superfície para assar.
  • Deixe-os descansar sobre uma grelha para que esfriem uniformemente em cima e em baixo assegurando sua crocância.

0


Hoje temos aquele que já foi chamado de o "mais popular de todos os doces do Nordeste", nas palavras do historiador Câmara Cascudo, em seu livro "A História da Alimentação". Tão presente no país que o antropólogo Raul Lody chegou a dizer que apreciar o quitute "é um meio de olhar atenciosamente para a cultura popular". Pra mim, na verdade, trata-se de simples gulodice de uma tarde de domingo. 

Tanto que a cocada tradicional é definida como doce cujos ingredientes básicos são açúcar, manteiga e coco ralado. Mas, como miséria pouca é bobagem, resolvi fazer esta com leite condensado. E só pelas fotos dá pra notar que ficou ótima. 

Apenas um alerta : você pode fazer com "coco de saquinho" e qualquer leite condensado, mas saiba que terá um produto inferior. O ideal é coco fresco e o melhor leite condensado que encontrar. 

Vamos lá .

Ingredientes
  • 1 e 1/3 xícara (chá) de leite integral (ou 320 gramas)
  • 1 xícara (chá) de açúcar (ou 180 gramas)
  • 400 g de coco ralado  fresco (ou industrializado em flocos)
  • 1 lata de leite condensado


Preparo

1.  Para descansar os doces, usei um tapete de silicone. Mas se não tiver, unte uma assadeira grande com óleo e reserve.

2.  Em uma panela grande despeje todo o leite e o açúcar. Ligue o fogo alto e quando levantar fervura abaixe o fogo e deixe por 5 minutos, mexendo de vez em quando. 

3.  Em seguida, coloque o coco ralado. Misture até soltar do fundo da panela e secar o líquido. 

4.  Adicione o leite condensado, misture em fogo baixo até soltar do fundo da panela, como se fosse um brigadeiro. Desligue o fogo. 

5. Com uma colher de sopa, pegue porções da cocada e coloque em cima de um tapete de silicone ou na forma untada. Espere secar em temperatura ambiente, ou na geladeira para agilizar.

Dicas

  • Se quiser guardar a cocada, deixe esfriar bem e armazene num recipiente com tampa hermética.
 Para tirar o coco da casca
  • Com um saca-rolha ou uma chave-de-fenda, faça um furo em dois dos “olhos” do coco. Retire toda a água. 
  • Aqui, coloco o coco inteiro ou já quebrado diretamente sobre a chama do fogo. É a maneira mais rápida, pode acreditar ! Mexa com uma pinça até que toda a superfície esteja chamuscada. Se optar pelo coco inteiro, após "queimar" levemente a casca, quebre o coco e, protegendo uma das mãos com uma toalha, retire a polpa com a ajuda de uma faca sem ponta.
  • Mas outra maneira de eliminar a casca é colocar o coco no forno aquecido (no alto) por uns 15 a 20 minutos (ou até ele rachar). Deixe esfriar e retire a casca forçando a rachadura com uma faca sem ponta. 
  • Algumas vezes o coco também já sai sem a casca mais escura e só precisa descascar alguns locais onde ela ficou. Mas se precisar retirar  a casca, use um descascador de legumes.
  • Após, rale manualmente ou utilize um processador. Mas, atenção, deixei o coco recém ralado secar  por pelo menos um dia ou acelere o processo levando-o a um forno pré-aquecido e desligado. Se usá-lo imediatamente, a consistência da cocada será mais cremosa e a cocada demorará pelos menos três dias para secar por fora. 
  • Se tiver tempo, faça isso com dois ou três cocos, coloque em sacos plásticos previamente pesados e datados. No freezer, o produto pode ficar por até seis meses.
0


Pense num bolo bom... é esse ! A aparência imponente engana, pois é de preparação muito simples. Mas o sabor remete às tradições da confeitaria inglesa, com sabor marcante, texturas variadas e delicadeza de todo o conjunto. Também é chamado de "bolo Ashburton", uma pequena cidade no sudeste da Inglaterra, no condado de Devon. Ali é presença constante nas casas de chá espalhadas pela região.

Rende um bolo com recheio e cobertura de 23 cm e serve, com fartura, até oito pessoas. A massa pode ser preparada e assada no dia anterior e você pode congelar, sem cobertura, por até dois meses. 

INGREDIENTES

200 g de farinha de trigo com fermento
300 g de açúcar cristal (granulado)
1 colher de chá de fermento químico em pó
1 e 1/2 colher de sopa de canela em pó
175 ml de óleo de girassol
2 ovos levemente batidos
1 colher de chá de extrato de baunilha
100 g de cenouras cruas raladas
100 g de nozes picadas
60 g de coco ralado
220 g de abacaxi em calda

Obs.:
A) A farinha com fermento existe em pelo menos tr~es marcas: Dona Benta, Rosa Branca e Boa Sorte
B) O abacaxi deve ser coado, picado em fatias e picado
C) Use duas formas de bolo redondas e rasas (23 cm) untadas e forradas com disco de papel-manteiga

COBERTURA :

200 g de cream cheese integral
100 g de manteiga amolecida
200g de açúcar de confeiteiro
1 colher de chá de extrato de baunilha

PREPARO

1. Pré-aqueça o forno a 180°C.  

2. Coloque a farinha em uma tigela grande, acrescente o açúcar, o fermento e a canela e mexa bem.

3. Adicione o óleo, os ovos e o extrato de baunilha e mexa bem com uma colher de pau ou espátula. Acrescente as cenouras, as nozes, o coco ralado e misture até obter uma pasta homogênea. Por fim, delicadamente, incorpore o abacaxi picado. 

4. Coloque a massa por igual nas formas de bolo e asse por 45 a 50 minutos ou até que os bolos tenham crescido e dourado. Para verificar se estão cozidos no meio, espete o centro com um palito de madeira (se, ao retirá-lo, ele estiver limpo, os bolos estão prontos). Transfira para uma superfície gradeada e deixe esfriar completamente. Esta etapa é importante, pois o calor do bolo pode derreter o creme.

5. Cobertura : Coloque o cream cheese e a manteiga na batedeira. Peneire o açúcar de confeiteiro por cima, acrescente o extrato de baunilha e bata até obter uma pasta.

6. Retire os bolos das formas e descarte o papel-manteiga. Vire um dos bolos de cabeça para baixo em um prato e espalhe a cobertura por cima. Arrume o segundo bolo sobre o primeiro e coloque o resto da cobertura por cima.

0


Ainda não conseguiu eliminar aqueles quilos extras do Final de Ano ? Você precisa "tomar um rumo" alimentar, mas não dispensa um bolo caseiro ? Pois seus problemas acabaram... 

A sugestão de hoje é um delicioso bolo de banana, que além de saudável, é funcional. Não leva farinha ou açúcar e, de quebra, traz na composição aveia e uva passa, ingredientes que vão ajudar seu organismo a funcionar melhor.  Vamos lá.

INGREDIENTES
  • 4 bananas-prata ou naninas bem maduras
  • 1/2 xícara (chá) de uvas-passas
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de óleo
  • 2 xícaras (chá) de aveia em flocos
  • 2 colheres (sopa) de fermento

PREPARO

1. Unte uma forma pequena, polvilhe com farinha e reserve. Eu preferi uma forma que faz quatro unidades pequenas.

2. Corte as bananas em rodelas e bata no liquidificador, com as passas, os ovos e o óleo.

3.  Em uma tigela, junte a aveia e o fermento.

4. Adicione a mistura cremosa dos ingredientes batidos no liquidificador aos ingredientes secos. Misture bem até formar uma massa homogênea.

5. Leve para assar em forno preaquecido a 18ºC durante 20 minutos ou até dourar. Deixe esfriar por alguns minutos e desenforme.

Dicas : a ) Você pode, como eu, fazer vários bolinhos e, depois de frios, embalar individualmente e congelar. Quando o primeiro estiver acabando, basta tirar o segundo do freezer;  b ) Como cada forno tem um jeito, além do dourado da superfície, sempre vale fazer o teste do palito ou de uma faca fina. Espete o bolo e se sair limpo, está pronto.  

0


Esse é um doce tradicional. Uma sobremesa típica, que mistura o melhor do bolo e do pudim, para um resultado simplesmente delicioso. Isto mesmo: um bolo com textura de pudim.  Espero que gostem

INGREDIENTES

1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de leite
6 ovos
1 colher (sopa) de manteiga
100 g de coco ralado
100 g de queijo parmesão ralado
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
Fios de ovos para decorar

PREPARO

1. Pré-aqueça o forno a 180°C. Prepare uma forma de buraco no meio, caramelizando-a com 1/2 xícara (chá) de açúcar. Reserve.

2. No liquidificador, bata o restante dos ingredientes, menos os fios de ovos.

3. Coloque na forma reservada e leve ao forno médio, pré-aquecido, em banho-maria, por 50 minutos ou até firmar.

4. Espere esfriar, leve à geladeira por 1 hora e desenforme.

5. Sirva decorado com fios de ovos.

2


Um clássico. Obviamente, a torta de maçã é uma das sobremesas de todos os tempos. E minhas lembranças de infância sempre remetiam a algum desenho ou seriado americano em que as mães ou avós invariavelmente surgiam com aquela torta estufada e perfumada (como imaginava, pelo menos). Tão cativante que visualizava aquela fumaça da sobremesa invadindo todos os cômodos e chamando a todos pelo nariz.

Mas como estamos no Brasil, a experiência só tornou-se real quando eu mesma passei a cozinhar. E, depois de algumas tentativas, esta é a melhor receita que encontrei. Minha dica para você é respeitar os tempos de descanso e usar dois tipos de maçãs para o recheio, uma mais ácida e outra mais doce. Faz toda a diferença.

A escritora Martha Stewart, no seu livro Martha’s American Food, diz que não há sobremesa mais americana do que uma Apple Pie. Mas há tradições que valem ser compartilhadas. 

Ingredientes

Massa:
  • 2  e 2/3 xícaras (400g) de farinha peneirada
  • 1 xícara (250 g) de manteiga sem sal gelada cortada em cubinhos
  • 1/4 de colher de chá de sal
  • 6 a 8 colheres de sopa (90 a 120 ml) de água gelada
  • 1 colher de sopa de vinagre de maçã

Recheio:
  • 1 kg de maçãs, metade vermelhas e metade verdes (descascadas, sem caroço, cortadas em fatias de 0,5 cm de espessura, mais ou menos)
  • ¼ de xícara de açúcar 
  • ¼ de xícara de açúcar mascavo 
  • 1 colher de chá bem cheia de canela
  • ¼ de colher de chá de sal
  • ¼ de colher de chá de noz-moscada (opcional)
  • suco de meio limão
  • 1 ½ colher de sopa de manteiga
  • 3 colheres de tapioca granulada (ou 1 ½ de farinha de trigo)

Preparo

Massa

1. Em um processador, misture rapidamente os ingredientes secos (farinha e o sal). Pulse brevemente. Adicione os cubos de manteiga e pulse até a mistura parecer migalhas de pão.Não se preocupe, é assim mesmo. Adicione 6 colheres de sopa de água gelada e o vinagre, e pulse 5 ou 6 vezes. Pegue um pouco da mistura com a ponta dos dedos. Se ela não se juntar, acrescente outra colher de água. Pulse 2 ou 3 vezes e teste de novo. Quando a mistura estiver pronta, ela parecerá migalhas e só se juntará se for apertada. 

2. Coloque sobre uma superfície lisa e junte tudo delicadamente, até formar uma bola de massa que não grude. Divida em dois (uma parte um pouquinho maior que outra), enrole separadamente em um filme plástico e leve à geladeira por uma hora.

3. Após, tire da geladeira a porção de massa maior e, sobre uma superfície lisa e enfarinhada, abra com um rolo (também enfarinhado), sempre do centro para as pontas. Abra um pouco e gire a massa no sentido horário, tentando fazer um círculo de uns 30 cm. Tome cuidado pra não ficar muito fina, nem muito grossa, mas bem lisa e uniforme.

4. Pegue uma forma redonda de 23 cm de diâmetro, untada, e coloque a massa por cima (um truque bom é enrolar bem folgadamente a massa no rolo e desenrolar por cima da forma). Ajeite a massa na forma, cobrindo bem o fundo e as laterais, deixando as sobras de massa pra fora. Cubra com filme plástico e leve de volta ao refrigerador.

5. Agora abra a outra porção da massa do mesmo jeito, formando um círculo um pouco menor, que será a “tampa” da torta. Coloque em uma assadeira reta, sobre papel manteiga, cobra com plástico e de volta à geladeira. 

Recheio


1. Assim que descascar e fatiar as maçãs, coloque as fatias em uma tigela grande e imediatamente misture com o suco de limão – isso evita com que elas escureçam.

2. Misture os açúcares, o sal, a canela e a noz-moscada. Junte, com as mãos mesmo, às fatias de maçã e misture bem, para “temperar” as fatias uniformemente.

3. Importante : como as maçãs perdem água no processo, elas perdem volume e podem deixar sua torta meio oca. Como evitar isso? Assim que você terminou de misturar as fatias com açúcares, canela etc, ponha tudo em um escorredor de macarrão ou peneira grande, coloque sobre a tigela onde elas estavam e deixe em temperatura ambiente por uns 30 minutos (enquanto você abre sua massa, por exemplo). Isso faz com que as maçãs percam água e já fiquem no volume certo.

4. Mas a mistura de água e açúcar que sai das maçãs você aproveita – e muito – para dar sabor à sua torta. Recolha esse resíduo em uma caneca de vidro ou porcelana (que possa ir ao microondas), previamente untada com margarina. Junte 1 ½ colher de manteiga, misture e leve ao micro ondas por 5 minutos, em alta temperatura, ou até que ferva (isso tudo pode ser feito em uma panelinha, no fogão, também). Você vai ver que a água marrom de antes reduz e vira quase um xarope, meio grosso e caramelado.

5. Misture essa maravilha nas fatias de maçã. Adicione a tapioca (ou farinha) e misture tudo muito bem. Está na hora de rechear a massa e levar sua torta ao forno.

Montagem
  • 1 gema de ovo
  • 1 a 2 colheres de açúcar demerara (ou comum)
1. Retire a tampa da torta da geladeira uns 10 minutos antes de montar a torta. Depois, pegue a parte de baixo, recheie com as maçãs e espalhe uniformemente.

2. Agora faça o mesmo método do rolo: enrole a massa da tampa folgadamente e desenrola sobre a parte de baixo recheada. Vá tirando as sobras de massa e formando a beirada mais grossa, com os dedos.

3. Com uma faca afiada, corte pequenas aberturas perto do centro, para pode liberar os vapores na hora em que a torta assar.

4. Pincele a torta com uma gema e espalhe o açúcar demerara uniformemente por cima da superfície. Leve ao forno pré-aquecido a 220ºC e deixe assar entre 45 e 55 minutos. Quando ela estiver dourada, faça o teste, enfiando a faca delicadamente em uma das aberturas da tampa: você tem de sentir as fatias macias, não deixando que percam sua forma ou virem um purê.

Retire a torta do forno e deixe esfriar para que os sucos internos se assentem e o sabor se consolide. Pronto! Sirva pura, com chantilly ou sorvete de creme. A torta dura de 2 a 3 dias fora da geladeira. 

Confira o passo-a-passo no álbum abaixo

TORTA DE MAÇÃ - APPLE PIE
0

Tia Sô

authorOlá, meu nome é Solange Grignolli. Nasci no Paraná (com muito orgulho) e, não posso negar, sou do século passado. Adoro o Sul do país e as coisas simples da vida. Sou sincera, honesta e leal. Adoro meu marido, meu filho, meus amigos e minhas cachorrinhas. Sou o que sou, sem frescuras, e gosto muito de pessoas assim também.
Seguir



Minhas Coisinhas